Buscar
  • Tropicália Viva

05 peças icônicas da carreira de Rita Lee

No segundo semestre desse ano, Rita Lee ganhará uma exposição de seu acervo pessoal no Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS).


O público ficou animado com o projeto e relembrou dezenas de peças inesquecíveis da carreira de Rita. Listamos agora os cinco elementos mais lembrados.


1 - Macacão do Lança Perfume


Rita Lee na capa do álbum "Lança Perfume" e em ensaio mais recente para sua fotobiografia. Fotos: Miro/Guilherme Samora(Reprodução).


O álbum que ficou famoso como "Lança Perfume" foi, sem dúvidas, um disco divisor de águas na carreira de Rita Lee.

Em 1980, a cantora lançava o LP com uma capa assinada pelo fotógrafo Miro vestindo um macacão de modelo Norma Kamali.

Rita repetiu o figurino no especial "Grande Nomes: Rita Lee Jones" da TV Globo, de onde saiu a marcante performance de "Baila Comigo".

Elis Regina se encantou pelo look e copiou o figurino para a sua última turnê: 'Trem Azul', show onde cantava "Baila Comigo" e "Lança Perfume" em homenagem à Rita.

Elis Regina com o figurino copiado de Rita na turnê "Trem Azul". Foto: Divulgação.


02 - Vestido de noiva


O ano era 1968, Gilberto Gil e Caetano Veloso haviam sido desclassificados do Festival Internacional da Canção, Os Mutantes eram os únicos tropicalistas concorrentes mas eliminatórias do Maracanãzinho.


A TV Globo cedeu alguns figurinos do seu guarda-roupa, após Rita Lee inventar que na Record eles liberavam.

Rita foi até os estúdios do Jardim Botânico e acabou conseguindo assistir a gravação de uma cena da novela "O Sheik de Agadir" com a estrela Leila Diniz vestida de noiva.


Leila Diniz usando o vestido de noiva da novela "O Sheik de Agadir". Foto: Revista Fatos e Fotos (Reprodução).


Rita resolveu tietar a atriz, que encantada pela jovem, ofereceu o vestido do figurino como empréstimo. Rita aceitou na hora.

Sob protestos do júri, a banda tropicalista apresentou "Caminhante Noturno" com Rita vestida de noiva, a tropicalista ainda soltou em um gravador o polêmico discurso de Caetano da canção "É Proibido Proibir".


Rita com vestido de Leila Diniz. Foto: Reprodução.


O vestido nunca mais devolvido.


Rita Lee estampa a capa do segundo álbum de estúdio "Mutantes" com o traje nupcial ao lado de Arnaldo Baptista e Sérgio Dias.


Capa do álbum "Os Mutantes" de 1969. Foto: Reprodução.


3 - As botas prateadas roubadas da Biba


A Biba foi uma das butiques mais badaladas de Londres dos anos 1960 e 1970. Era um fenômeno que tentava seguir o ritmo da contracultura, mais ou menos o que se entende hoje de fast fashion, liderada pela polonesa Barbara Hulanicki.


Bárbara na porta da loja Biba. Foto: Formidable Mag/Reprodução.


Durante uma passagem por Londres, Rita Lee entrou na loja, experimentou uma bota prateada e pediu para que a vendedora conseguisse um número maior, pois aquela estava apertada.


Enquanto a vendedora entrou no estoque, Rita saiu da loja calçando as botas. O roubo virou um símbolo no figurino de Rita Lee na sua era Tutti Frutti.


Rita Lee com as botas prateadas e a banda Tutti Fruti.

Foto: Divulgação.


Anos depois, Barbara Hulanicki abriu uma filial da loja em São Paulo e se ofereceu para fazer o figurino do show "Babilônia" gratuitamente para Rita. A cantora então confessou o roubo das botas para a dona da "Biba" e se ofereceu a devolver os produtos mesmo já descascados. Barbara riu da história e absolveu Rita.


04 - A roupa de presidiária


Em 1976, Rita Lee foi presa por portar "um quilo de maconha". A grande questão é que na época Rita estava grávida de três meses e tinha se afastado das drogas por conta da gestação. A acusação era falsa!


Na prisão, Rita recebeu a proteção de Elis Regina que foi pessoalmente visitá-la e exigiu cuidados médicos com a colega.


O primeiro show pós-prisão teve seus ingressos esgotados e o ginásio do Palmeiras foi palco do maior público de Rita Lee, que subiu para fazer seu show vestida de presidiária acompanhada de duas policiais femininas com o número X21 grudado no peito.

Rita entrando no palco com a icônica roupa de presidiária.

Foto: Divulgação.


05 - Os óculos


O grande motivo dos óculos de Rita Lee é patológico: ela sofre de fotofobia, além de hipermetropia e astigmatismo.

Rita transformou isso em uma marca. Certa vez, quando foi convidada para pousar nua, ela respondeu só se sentiria nua se colocasse uma roupa de freira, tirasse a franja e os óculos.

A cantora chegou a estrelar a coleção de uma famosa marca de óculos.


Rita e seus óculos em diversos momentos. Fotos 1 e 2: Reprodução.

Foto 3: Divulgação Chilli Beans.



E para você? Qual peça não pode faltar na exposição?


A exposição está prevista para acontecer na cidade de São Paulo a partir de setembro. A curadoria é de João Lee e a direção artística de Guilherme Samora.





622 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo